O que é uma agência literária?

Uma agência literária é uma empresa especializada em agenciamento de autores e autoras, composta por um ou mais agentes literários (se quiser saber mais sobre agentes, é só seguir lendo) que trabalham com um portfólio de obras que representam.

As agências são bastante tradicionais no mercado editorial, e em praças mais estabelecidas – como os E.U.A. e Europa -, é impossível pensar o funcionamento do mercado de livros sem essas figuras.

Algumas agências estrangeiras, como o Trident Media Group e The Knight Agency, representam alguns dos maiores autoras e autoras do mundo, e tem milhares de títulos nos seus portfólios – além de diversos agentes associados trabalhando em conjunto.

Aqui no Brasil, nós também temos diversas agências e, cada vez mais, com a profissionalização do mercado, elas se tornam mais relevantes. Já é comum que editoras grandes somente aceitem manuscritos enviados por agentes e agências literárias.

Se você quiser saber mais sobre as principais agências literárias brasileiras, é só clicar aqui.

 

O que é uma agente literária?

Uma agente literária é alguém que representa os interesses de um autor ou de uma autora e atua como sua intermediária para fazer negócios. De maneira geral, a principal função da agente literária é encontrar uma editora para publicar os trabalhos dos seus agenciados – mas ela também pode representar o autor ou autora e seus trabalhos perante produtoras audiovisuais e de teatro, participações em palestras e eventos, agências literárias internacionais e qualquer outra parte interessada no trabalho dos agenciados e agenciadas.

Além de encontrar editoras e produtoras interessadas no trabalho da autora ou autor, a agente literária também executa diversas funções, visando sempre o melhor resultado para as carreiras dos seus agenciados e agenciadas: a agente negocia os melhores termos dos contratos (buscando sempre maximizar os ganhos do seu agenciado ou agenciada), lê e comenta manuscritos, auxilia na gestão de carreira, gerencia os contratos e vendas das obras, e também ajuda na proteção legal e financeira nas questões editoriais dos agenciados e agenciadas.

É importante frisar que o trabalho de agenciamento literário é sempre comissionado – ou seja, a agente ganha uma porcentagem dos trabalhos do autor. Uma agência literária nunca cobra por seus serviços fora do modelo de comissão, pois é esse sistema que garante a ética dos trabalhos de agenciamento.

As agentes literárias estão sempre antenadas no mercado e atualizadas das tendências do mundo editorial. Além disso, são figuras muito bem conectadas com os profissionais do mercado editorial e audiovisual, o que confere acesso na hora de fazer os pitchings, enviar as proposals e realizar as vendas das obras dos autores e autoras agenciadas.

O que faz um agente literário?

I) Um agente literário promove a venda de projetos editoriais

Simplesmente saber quem são as editoras certas para um livro não é o suficiente. De fato, vender um trabalho literário demanda a atenção do editor certo. Para isso, é preciso “empacotá-lo” de forma que ele fique atraente para quem vai adquirir seus direitos, e seja fácil o suficiente entender seu valor. Sendo assim, o agente literário cria propostas de livro, as chamadas “book proposals”, escrevendo projetos excelentes e de grande apelo. Ele também fazendo reuniões em que apresenta as obras através de um “pitch” (um discurso de venda conciso e eficiente), preparado para comercializar cada projeto.

II) Um agente literário busca sempre os melhores negócios

O agente não só encontra os editores certos e consegue contratos para obras dos autores; mas também negocia as melhores condições para o licenciamento das obras. Assim, sempre fecha o melhor negócio para seus autores. Os agentes conhecem os detalhes do mercado editorial e as “pegadinhas” comuns em cláusulas contratuais. Da mesma forma, sabem como obter as melhores condições que as editoras podem oferecer; isso favorece seus agenciados na hora de assinar qualquer tipo de contratação.

III) Um agente literário ajuda a aprimorar os manuscritos do autor

Um bom agente literário ajuda o autor a escrever o melhor trabalho possível. Ele pode fazer leituras críticas, comentários editoriais, revisões e até mesmo ajudar a criar os projetos editoriais junto com seu autor. O agenciamento, com toda a certeza, vai garantir que o trabalho apresentado para o mercado seja o melhor possível. Esses manuscritos de maior qualidade e excelência possibilitam garantir a profissionalização do trabalho do autor.

 O que um agente literário não faz?

I) Um agente não cobra nada do autor

Um agente de qualidade nunca cobra taxa de representação, de edição ou de leitura crítica de um autor agenciado. O modo como um agente literário é remunerado é recebendo uma comissão em cima dos ganhos do autor, uma porcentagem fixa sobre os valores das obras que representa, em geral de 15% a 20% sobre os royalties recebidos pelos agenciados. Ou seja, ele aposta no autor e em seu projeto, entrando no risco.

Por isso, o agente só vai representar quem ele realmente acredita, já que não vai arriscar seus escassos recursos, de tempo, energia e dinheiro, com quem não tem um bom potencial editorial ou comercial. E é isso o que faz também o trabalho do agente ser tão valorizado, já que ele filtrará e buscará as melhores obras, autores e projetos, selecionando o que é melhor para cada editor.

II) Um agente não divulga ou vende livros

Os agentes não fazem assessoria de imprensa, o que cabe a profissionais especializados nisso, que devem ser contratados pelo autor ou por uma editora. Os agentes também não são responsáveis ​​pela divulgação ou comercialização dos livros do autor, pois isso cabe ao editor e (cada vez mais) ao próprio autor.

III) Um agente literário não é responsável pela publicação

Diferente de uma editora ou prestadora de serviços, a agente literária não encabeça os processos de edição e publicação de um livro. O trabalho dessa profissional consiste em vender as obras de seus agenciados e suas agenciadas para outras empresas que possuem intenção de publicar sua obra (como livro físico, digital, audiolivro, filme, série, ou outros) – por isso, a agente não tem necessariamente expertise em impressão, diagramação e edição de obras.

É possível ser um autor sem ser agenciado?

É claro que existem muitos autores e autores que não são agenciados. Posto que o Brasil ainda é um mercado pouco profissionalizado isso é bastante comum. Ainda assim, cada vez mais existe uma profissionalização da profissão de autor e autora, editor e editora, e também de agente literário.

Em outras palavras, os escritores e escritoras que não são agenciados podem ser – e vários são! – muito bem sucedidos. No entanto, a ponte com as editoras, o conhecimento de como colocar as obras da melhor maneira possível, as negociações para se ter o melhor contrato possível: tudo isso fica muito mais difícil sem a mão competente de uma agência literária.

Qual o momento certo de ter um agente literário?

No Brasil, existem poucos agentes literários que trabalham com autores totalmente iniciantes. Portanto, antes de procurar por uma representação, o ideal é que você se torne o mais relevante e profissional possível. Isso aumenta as chances esses profissionais invistam suas fichas em você, pois será um risco que vale a pena.

Publique suas obras em plataformas digitais, busque criar um público interessando nas redes sociais… Vá você mesmo atrás de contratos com pequenas e médias editoras. Não fique parado! Existem milhares de autores e autoras independentes, que divulgam e vendem bem seu trabalho. Todos eles sabem que a proatividade é uma qualidade essencial de um autor conhecido.

Depois de ter conseguido um portfólio mais respeitável e ter amadurecido sua escrita, aí sim é a hora de ir atrás de um agenciamento. Sempre, claro, levando em conta tudo o que já recomendamos aqui.

Como conseguir um agente literário?

Um agente literário em geral recebe centenas de pedidos de agenciamento todos os meses, e inúmeros originais não solicitados de autores que pedem uma avaliação para conseguir ser agenciado. Por isso, simplesmente enviar um e-mail para um agente com seu nome e seu pedido para ser representado não é nem suficiente e nem a melhor maneira de conseguir isso. Para ser escolhido por uma agência para ter sua obra representada, é preciso fazer algumas coisas:

1. Pesquise os agentes literários

Como já foi dito, os agentes e as agências literárias em geral trabalham somente com tipos específicos de livros e segmentos. Portanto, não adianta mandar seus trabalhos para uma agência que não contempla o perfil da sua obra. Veja aqui uma lista de 10 Agências Literárias brasileiras confiáveis e busque saber se elas trabalham com seu segmento de escrita.

2. Descubra se o agente está querendo receber originais e de que maneira

Nem todas as agências estão em busca de novos agenciados o tempo todo. Por isso, antes de enviar algo não solicitado, procure descobrir a política de recebimento de novas obras ou quando determinada agência vai abrir novas oportunidades para analisar novas representações e siga suas orientações.

3. Elabore uma excelente Carta de Apresentação

Você ficaria surpreso em saber com quantas pessoas simplesmente enviam um e-mail com seu nome e um pedido de representação para as agências. Sem dúvida, nenhuma agência de verdade irá notar autor nenhum com essa abordagem. Em geral, quando agentes estão recebendo novos originais para avaliar representações, pedem uma Carta de Apresentação, que é um documento em que o autor diz quem é e o que é sua obra. Por isso, é preciso elaborar uma excelente Carta de Apresentação para fisgar a atenção e o interesse dos profissionais.

4. Certifique-se de que tem uma obra excepcional

Achar o agente certo e enviar uma Carta de Apresentação excelente não adianta nada se você não tiver um livro acima da média. Não comece a procurar agenciamento se seu livro ainda não está maduro, bem trabalhado, polido e lapidado. Não se esqueça que escrever é reescrever. Analise: seu original passou por uma ou mais leituras críticas profissionais e foi ajustado? Seu texto passou por uma revisão ou está cheio de erros ortográficos? Você mandou para leitores-beta e aprimorou o que foi necessário? Lembre-se: você não tem uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão. 

Conheça as agentes da Authoria.